-[Guia definitivo] Meios de pagamento para empresas - Blog da Luna
Carteira aberta com vários cartões aparecendo
Voltar

[Guia definitivo] Meios de pagamento para empresas

Quem já tentou vender um produto ou serviço, seja de forma virtual ou presencial, sabe que o meio de pagamento é crucial para o sucesso da venda. Você pode oferecer o melhor produto, com a melhor experiência e o melhor preço, mas caso o meio de pagamento não seja compatível com seu cliente a venda simplesmente não vai acontecer.

Escolher um sistema lento ou que exija que os clientes completem mais etapas para finalmente ter acesso ao produto causa muito desconforto e pode acarretar no adiamento e possivelmente na desistência da compra. Outro problema a ser considerado são as taxas de cada sistema, cada tipo de cliente tem uma resistência em relação às pequenas variações de valor, por isso uma pequena taxa a mais pode incomodar também.

Todas as características mencionadas são cruciais no sucesso dos seus meios de pagamento e às vezes é necessário escolher entre arriscar aumentar um pouco a taxa para ter uma maior comodidade ou o contrário. Se você tem dúvidas sobre os meios de pagamento e quer conhecer melhor quais deles podem te ajudar a alcançar o sucesso do seu empreendimento, está no lugar certo! Boa leitura!

Quais são os meios de pagamento disponíveis atualmente?

Todo mundo conhece o bom e velho dinheiro, mas você está por dentro de todas as possibilidades de pagamento? Suas vantagens, desvantagens, preços e como usar? Vamos dar uma visão geral de todas elas e como você pode usá-las a seu favor. Cada meio de pagamento tem uma história diferente, um propósito diferente, e deve ser avaliado considerando o contexto de cada tipo de negócio e de cliente.

O ideal é sempre dar flexibilidade e transparência para os clientes, por isso quanto mais meios de pagamento disponíveis maiores suas chances de conquistar mais clientes (é claro, lembrando de que é importante deixar bem claro para o cliente como usar e quais as diferenças).

Para facilitar a leitura do artigo vamos definir um termo muito falado: gateway de pagamento, em tradução literal portão de pagamento, é um sistema por onde o pagamento passa, e que cuida de questões relacionadas ao mesmo.

1. Dinheiro

Apesar de cada vez menos utilizado, o dinheiro ainda é um método possível e que serve de método reserva quando os sistemas não funcionam ou estão lentos. Dependendo do tipo de serviço e da região ainda pode ser um método bem utilizado, por exemplo: caso seus clientes sejam de baixa renda, é possível que não tenham acesso ao cartão de crédito ou tenham restrições na conta bancária e nesses casos o dinheiro sempre funciona.

Apesar de ser um método considerado ultrapassado ainda conta com vantagens pouco percebidas, como a ausência de taxas e consistência na velocidade de pagamento, já que não depende de outros sistemas. Dentre as desvantagens temos a possibilidade de muitos clientes não utilizarem mais dinheiro físico em detrimento aos meios de pagamento mais avançados, além do trabalho de logística ao cuidar de troco e administração física do dinheiro, que pode ser alvo de ladrões.

2. Cartão de crédito

Essa é a forma mais popular de pagamento, oferece praticidade e segurança tanto para o cliente quanto para o consumidor, já que o consumidor consegue pagar qualquer valor (dentro do seu limite) com ele sem carregar um monte de dinheiro e é necessária a senha para efetuar o pagamento.

Existem várias bandeiras como MasterCard, HiperCard, American Express, Visa, Elo, etc. E é importante se atentar à aceitação do máximo delas, já que a maioria dos clientes possui uma ou duas bandeiras.

Como mencionamos anteriormente, nem todos os clientes tem cartão de crédito dependendo do perfil e do seu tipo de negócio. Então é importante sempre ter outra opção para compra (a não ser em casos bem específicos, onde o pagamento só pode ser feito por cartão).

Existem dois tipos de contrato que são firmados normalmente entre as operadoras de cartão e os donos dos negócios, que variam de 2% a 5% em média:

  1. Contrato padrão, nesse caso você paga a taxa padrão estabelecida comercialmente pela operadora;
  2. Contrato com redução de taxas, é possível solicitar um contrato diferenciado quando você possui um volume significativo de vendas do seu produto. Também existe a possibilidade de solicitar esse plano após o aumento de vendas, fazendo uma renegociação.

O Brasil ainda é um país em desenvolvimento e por essa e outras questões os consumidores tem alguma dificuldade para concretizar compras, especialmente as de alto valor. Uma vantagem que o cartão oferece que pode suprir essa necessidade é o parcelamento sem juros. Apesar de serem ofertadas por outros meios de pagamento, as taxas do parcelamento no cartão são normalmente mais atrativas.

No momento de necessidade alguns empreendedores podem precisar de um dinheiro extra e aqui entra outra possível vantagem do cartão: alguns bancos oferecem a possibilidade de adiantar parte do valor recebido pelos clientes. Isso evita o endividamento dos empreendedores e apesar de também possuir taxas, elas são reduzidas se comparadas às alternativas.

A necessidade de fazer um contrato em alguns momentos pode ser bem cansativo para o empreendedor e a demora prejudica a velocidade de colocar o empreendimento pronto para receber clientes. Apesar desse processo de contratação ainda possuir algumas parte burocráticas, já teve um avanço significativo, possivelmente impulsionado pela reclamação de outros empreendedores. Outra necessidade importante é a posse de um CNPJ, que pode ser facilmente obtido pelo programa Microempreendedor Individual (MEI).

O dinheiro sempre é alvo de riscos, independente do método e aqui não é diferente, os riscos aqui estão relacionados à fraude, que pode se encaixar em várias categorias, como auto fraude (onde o consumidor compra e depois diz que não comprou) ou fraude deliberada (quando alguém usa o cartão de outra pessoa sem consentimento para realizar a compra). A melhor maneira de evitar esse problema é contratar uma empresa de análise de risco, já que as operadoras de cartão normalmente não oferecem esse serviço.

3. Cartão de débito

O cartão de débito é muito similar ao cartão de crédito com a diferença de que muitos gateways de pagamento não permitem a sua utilização, sendo mais aceito em maquininhas. Outra característica é a diferença entre as taxas, normalmente as taxas no débito são menores do que no crédito, além obviamente de não ser possível parcelar.

4. Boleto bancário

Essa modalidade já é bem conhecida também e também tem sido cada vez menos adotada. Pode ser utilizada com a emissão manual de boletos nos bancos ou através de um gateway de pagamento, aqui estamos falando da emissão manual.

A principal vantagem é o recebimento do dinheiro a vista, apesar de demorar um tempo para o dinheiro cair na conta. E a principal desvantagem está ligada exatamente ao fato da demorar para o dinheiro cair, além de não ser possível parcelar a compra.

5. Depósito

O depósito já foi uma maneira muito utilizada para recebimento de pagamentos, mas foi caindo em desuso. Atualmente é mais utilizada por pequenos vendedores, ou entre pessoas físicas para recebimento de pagamentos.

Esse método está entre os menos indicados, já que além de existir a demora para confirmação do pagamento também existe a desconfiança que se cria nos clientes ao exigir dados bancários.

6. Débito em conta

O débito em conta precisa da autorização dos bancos e é mais utilizado para o pagamento de serviços recorrentes, já que permite o pagamento mais fácil sem intermediação do cliente para atualização da mensalidade, caso do Netflix.

Esse método é muito parecido com o cartão de débito com a diferença de usar o número da conta e não do cartão. Ele é intermediado pelos bancos o que garante uma boa segurança.

7. Gateways de pagamento

Existem diversas opções de gateways de pagamento: PagSeguro, Mercado Pago, Paypal, Bcash, Moip, Aceita Fácil, Vindi, etc. Eles diferem nas taxas, meios de pagamento aceitos e outras características específicas de utilização. Os gateways são utilizados principalmente pelas lojas online.

Funciona como se houvesse uma pessoa conferindo as informações de todos os tipos de pagamentos utilizados, mas virtualmente e de maneira quase instantânea. Ou seja, no fim das contas é um agregador de várias formas de pagamento online.

8. Pix

O mais novo meio de pagamento veio para revolucionar a forma de pagar. Entre pessoas físicas ele não possui taxa e haverá uma taxa reduzida para as empresas receberem os pagamentos dos clientes, além do pagamento ser instantâneo em qualquer horário e dia.

Ele consta com a mesma segurança dos meios de pagamento que envolvem bancos, com praticamente os mesmos mecanismos de segurança. Sua utilização depende apenas do estabelecimento estar apto a receber o pix e a pessoa ter o pix cadastrado.

9. Intermediadores de pagamento

Além dos gateways de pagamento existem os sistemas intermediadores, apesar desse termo se confundir com os gateways de pagamento, nesse caso eles que buscam fornecer mais funções para o estabelecimento, como o LunaPay, que oferece o agendamento de serviços com um painel de acompanhamento dos clientes.

Seja o primeiro a saber!

Quer receber nossos posts? Deixe seu email abaixo e fique por dentro de tudo!

Navegue pelas categorias: empreendedorismo

Pronto para começar? Vamos fazer uma cotação!

Na Luna, simplificamos o processo de compra do seguro empresarial para que você tenha a cobertura que precisa, de forma rápida e fácil!